Meio Ambiente e Tecnologias Futuras

.

Edifícios Inteligentes e Verdes

Deixe um comentário

edifício com muito vidro e árvore

© Tiberius Gracchus – Fotolia.com

De onde vem a inteligência?

A inteligência em prédios nasceu junto com os elevadores seguros desenvolvidos por Elisha Otis em 1852 e que tornaram possível, por exemplo, a existência do Empire States, com seus 73 elevadores viajando do primeiro ao 80o. andar em menos de um minuto. Hoje eles parecem corriqueiros e sem graça, mas à época da sua inauguração, em 1931, os elevadores representaram a concretização de um sonho de verticalização urbana, e que mudou radicalmente a paisagem das nossas cidades.

Depois o preço da energia veio dar outro empurrão à inteligência das nossas edificações, levando as construtoras, no final dos anos 1970, a investirem em sistemas mais eficientes de aquecimento, ventilação e ar condicionado. E foi assim que o setor plantou de uma vez por todas a semente do que na década seguinte ganharia o nome de  Smart Building – o edifício inteligente.

                                       Inteligente é respeitar o meio ambiente

Hoje a inteligência anda de braços dados com o respeito ao meio ambiente. A ideia de economizar energia continua firme e forte, mas o edifício verde vai além e escolhe materiais alternativos, investe em opções que facilitem a manutenção, e usa a criatividade para oferecer conforto e economia. Os números ainda não impressionam — os edifícios verdes não chegam a três milhares no mundo e a três centenas no Brasil –, mas a tendência é de crescimento. E rápido. Até porque o investimento vale mesmo a pena.

Segundo o Green Building Council Brasil (gbcbrasil.org.br), um edifício inteligentemente verde poupa 30% de energia, 50% de água, produz 60% menos resíduos sólidos e reduz em 40% as emissões de carbono. E faz tudo isto não só com sistemas automatizados, mas também com uma série de medidas simples, como a instalação de descargas com dois volumes de fluxo, chuveiros com areadores e aquecimento solar, torneiras com limites de vazão, preferência por luz e ventilação naturais, coleta de água de chuva para reaproveitamento, e até mesmo a implantação de placas fotovoltaicas para a fabricação de energia elétrica a partir do sol.

Para conferir um exemplo de edifício verde, edifício inteligente no Brasil, vale a pena conhecer um pouco do projeto, construção e operação do Eldorado Business Tower que abriu as portas em 2009 em São Paulo.

Anúncios

Autor: Alessandra Ribeiro

Sou uma pessoa interessada em tecnologias que facilitam a vida das pessoas e das cidades, sem agredir o meio ambiente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s